O Jardim

Então, essa é minha poesia preferida do Lovecraft, e, não duvido muito, minha poesia preferida de um modo geral. Um tanto dramática, mas essa sou eu. =)
Espero que apreciem.

O Jardim

Existe um jardim antigo com o qual às vezes sonho,
Sobre o qual o sol de maio despeja um brilho tristonho;
Onde as flores mais vistosas perderam a cor, secaram;
E as paredes e as colunas são idéias que passaram.
Crescem heras de entre as fendas, e o matagal desgrenhado
sufoca a pérgula, e o tanque foi pelo musgo tomado.
Pelas áleas silenciosas vê-se a erva esparsa brotar,
E o odor mofado de coisas mortas se derrama no ar.

Não há nenhuma criatura viva no espaço ao redor,
E entre a quietude da cerca não se ouve qualquer rumor.
E, enquanto ando, observo, escuto, uma ânsia às vezes me invade
de saber quando é que vi tal jardim numa outra idade.
A visão de dias idos em mim ressurge e demora,
quando olho as cenas cinzentas que sinto ter visto outrora.
E, de tristeza, estremeço ao ver que essas flores são
minhas esperanças murchas – e o jardim, meu coração.

A propósito, cliquem aqui e aproveitem as obras disponíveis em pdf.

bluebells-hawkes-wood-1995.jpg

Imagem bonita de um campo de “bluebells”, não sei como se chamam aqui.

Postado por Guida

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: